Autor Tópico: Transmissão electrónica da Kawasaki  (Lida 1062 vezes)

Offline moto2cool

  • Super MaxiScootard
  • *****
  • Join Date: Mar 2015
  • Mensagens: 3883
  • Localidade: Porto
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: VStrom 650
Transmissão electrónica da Kawasaki
« em: 28 de Janeiro de 2021, 13:24 »
Uma nova patente surgiu mostrando que a Kawasaki começou a desenvolver uma transmissão eletronica  que pode muito bem ser destinada a uma mota de turismo para substituir seu modelo Concours 14 , mas também pode beneficiar superbikes ou mesmo cruisers no futuro. As caixas semiautomáticas há muito tempo estão à beira de uma ampla aceitação, com a Honda tendo sucesso com suas transmissões DCT de dupla embreagem desde 2009 e a Yamaha oferecendo seu FJR1300 com o sistema de mudança automática YCC-S já em 2006. Agora, a Kawasaki finalmente está trabalhando por conta própria.




O projeto se concentra no uso de um mecanismo de mudança eletrônico simples que elimina a necessidade de um link físico. Escritório de Patentes Japonês
O sistema Kawasaki parece ter como objetivo replicar a experiência de troca de marchas convencional quando necessário, mantendo a alavanca operada com o pé, mas usando um atuador eletrônico e sensores em vez de uma ligação física entre seu pé esquerdo e o tambor de mudança.

A patente se concentra, em vez disso, em um mecanismo de mudança eletrônico compacto e simples que traduz o movimento da alavanca de câmbio em uma rotação do tambor de mudança. Isso significa que não há mais necessidade de uma articulação física, liberando a estrutura da mota para permitir que os pedais sejam movidos sem a necessidade de se preocupar com como o câmbio será operado.

Com um atuador girando o tambor de mudança na transmissão convencional, é fácil ver como o sistema poderia ser usado em qualquer número de motas. Trocar a alavanca operada com o pé por botões montados na barra seria uma simplicidade em si, e com um computador entre o piloto e a alavanca de câmbio, seria fácil ter certeza de que falsos neutros, aceleração excessiva e mudanças de marcha incorretas fossem evitadas. Em motos esportivas, o sistema seria capaz de fazer o mesmo trabalho que um quickshifter, mas potencialmente mudar as relações mais rápido do que seu pé pode se mover, amarrado com a eletrônica do motor para garantir que as rotações sejam combinadas perfeitamente. Alternativamente, ele poderia ser facilmente aliado a uma embreagem automatizada para uma transmissão totalmente ou semiautomática.

Tradução automática

Notícias completa: https://www.cycleworld.com/story/bikes/new-kawasaki-electronic-shift/
"Viver a vida não é esperar que a tempestade passe, é aprender a andar à chuva"

Online Mercurio

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Out 2013
  • Mensagens: 825
  • Localidade: Lisboa
  • Marca: Yamaha
  • Modelo: Xmax 300
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #1 em: 28 de Janeiro de 2021, 15:07 »
Transmissão electrónica, Injecção electrónica, ABS (electrónico), controlo de tracção (electrónico) , acelerador ride-by-wire , chave codificada, painel de instrumentos TFT, sensores giroscópios, de posição da cambota, temperatura e pressão do ar...
A tecnologia mais antiga é o motor de combustão interna.
A propósito, querem ver uma viatura com motor de combustão externa?


Falta dar o último passo, vermos-nos livres desta tecnologia arcaica.
Venham as motas electricas!

Offline moto2cool

  • Super MaxiScootard
  • *****
  • Join Date: Mar 2015
  • Mensagens: 3883
  • Localidade: Porto
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: VStrom 650
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #2 em: 28 de Janeiro de 2021, 17:21 »
Veículo de duas rodas com motor externo

"Viver a vida não é esperar que a tempestade passe, é aprender a andar à chuva"

Offline EML

  • MaxiScootard Júnior
  • **
  • Join Date: Nov 2018
  • Mensagens: 303
  • Localidade: Porto
  • Marca: Sym
  • Modelo: Symphony 125 ST
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #3 em: 28 de Janeiro de 2021, 19:00 »
Veículo de duas rodas com motor externo



Às vezes tem um motor interno! Até fazem um raio X nas provas internacionais para verificar. _lol_
Sym Symphony 125 ST (8/2018) - 2,70 l/100 km (10431 Km)

Online Mercurio

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Out 2013
  • Mensagens: 825
  • Localidade: Lisboa
  • Marca: Yamaha
  • Modelo: Xmax 300
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #4 em: 28 de Janeiro de 2021, 19:54 »
Hahaha!
O motor pode ser externo mas a combustão é interna!

Offline Paulo Silveiro

  • Provedor
  • MaxiScootard
  • *****
  • Join Date: Jun 2013
  • Mensagens: 1822
  • Localidade: Oeste
  • The scooter rider
  • Marca: Yamaha
  • Modelo: Tmax 530 ABS
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #5 em: 28 de Janeiro de 2021, 22:12 »
Felizmente ainda existe gente que gosta de andar numa verdadeira mota, com mudanças, barulhentas, fumarentas e cheias de cabos, parafusos, velas, filtros, etc....
Honda PCX - Maio/2013 a Outubro 2014
XMAX - Outubro 2014 a Novembro de 2015
Tmax - Novembro de 2015;Yamaha D'elight 110 - 2016;Vespa Primavera 125 - Julho de 2018...
Scootard Spirit, o direito à diferença, nas duas rodas

Offline moto2cool

  • Super MaxiScootard
  • *****
  • Join Date: Mar 2015
  • Mensagens: 3883
  • Localidade: Porto
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: VStrom 650
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #6 em: 29 de Janeiro de 2021, 08:29 »
Por falar numa mota original, nunca a vi rodar mas deve deitar muito fumo


"Viver a vida não é esperar que a tempestade passe, é aprender a andar à chuva"

Offline MaisUm

  • MaxiScootard Júnior
  • *
  • Join Date: Abr 2016
  • Mensagens: 49
  • Localidade: Setúbal
  • Marca: Honda
  • Modelo: NC750x DCT
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #7 em: 29 de Janeiro de 2021, 22:42 »
Uma nova patente surgiu mostrando que a Kawasaki começou a desenvolver uma transmissão eletronica  que pode muito bem ser destinada a uma mota de turismo para substituir seu modelo Concours 14 , mas também pode beneficiar superbikes ou mesmo cruisers no futuro. As caixas semiautomáticas há muito tempo estão à beira de uma ampla aceitação, com a Honda tendo sucesso com suas transmissões DCT de dupla embreagem desde 2009 e a Yamaha oferecendo seu FJR1300 com o sistema de mudança automática YCC-S já em 2006. Agora, a Kawasaki finalmente está trabalhando por conta própria.


Acredito não ser tão difícil de criar uma solução idêntica à da Honda, o DCT. Esta ideia da Kawasaki, ainda carece de uma segunda ideia para complementar a automatização tal como a Honda tem. Mas a seu tempo lá irão, pois de facto a ideia é uma maravilha, e ainda ando a explorar a minha.....

O projeto se concentra no uso de um mecanismo de mudança eletrônico simples que elimina a necessidade de um link físico. Escritório de Patentes Japonês
O sistema Kawasaki parece ter como objetivo replicar a experiência de troca de marchas convencional quando necessário, mantendo a alavanca operada com o pé, mas usando um atuador eletrônico e sensores em vez de uma ligação física entre seu pé esquerdo e o tambor de mudança.

A patente se concentra, em vez disso, em um mecanismo de mudança eletrônico compacto e simples que traduz o movimento da alavanca de câmbio em uma rotação do tambor de mudança. Isso significa que não há mais necessidade de uma articulação física, liberando a estrutura da mota para permitir que os pedais sejam movidos sem a necessidade de se preocupar com como o câmbio será operado.

Com um atuador girando o tambor de mudança na transmissão convencional, é fácil ver como o sistema poderia ser usado em qualquer número de motas. Trocar a alavanca operada com o pé por botões montados na barra seria uma simplicidade em si, e com um computador entre o piloto e a alavanca de câmbio, seria fácil ter certeza de que falsos neutros, aceleração excessiva e mudanças de marcha incorretas fossem evitadas. Em motos esportivas, o sistema seria capaz de fazer o mesmo trabalho que um quickshifter, mas potencialmente mudar as relações mais rápido do que seu pé pode se mover, amarrado com a eletrônica do motor para garantir que as rotações sejam combinadas perfeitamente. Alternativamente, ele poderia ser facilmente aliado a uma embreagem automatizada para uma transmissão totalmente ou semiautomática.

Tradução automática

Notícias completa: https://www.cycleworld.com/story/bikes/new-kawasaki-electronic-shift/
Honda NC750x DCT
Yamaha Xmax 250
Yamaha Majesty 125
Yamaha XJ600

Online PSH72

  • MaxiScootard
  • ****
  • Join Date: Jan 2017
  • Mensagens: 1662
  • Localidade: Odivelas
  • Marca: Yamaha
  • Modelo: Xmax 300
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #8 em: 30 de Janeiro de 2021, 13:44 »
Começo acreditar que no futuro vai ser mais motas com este sistema do que o normal.

Offline davidsantos

  • Super MaxiScootard
  • *****
  • Join Date: Set 2016
  • Mensagens: 4531
  • Localidade: sintra
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #9 em: 31 de Janeiro de 2021, 18:10 »
Pela maior facilidade e conforto de utilização, um dia poderá generalizar se..
Sym Gts SE 12/2013  5/2017 a 11/2018
 21500 Kms até 28500 kms

Sym Cruisym 125 11/2018

Offline MaisUm

  • MaxiScootard Júnior
  • *
  • Join Date: Abr 2016
  • Mensagens: 49
  • Localidade: Setúbal
  • Marca: Honda
  • Modelo: NC750x DCT
Re: Transmissão electrónica da Kawasaki
« Responder #10 em: 31 de Janeiro de 2021, 23:52 »
Também acho que um dia a maioria das motas serão com "DCT" (@honda). Em França, as Honda NC750 parece que só estão a sair as que trazem DCT...
Honda NC750x DCT
Yamaha Xmax 250
Yamaha Majesty 125
Yamaha XJ600