Autor Tópico: Suzuki Burgman 400 - Ficha de Diagnóstico, onde está?  (Lida 2507 vezes)

Offline karloxilva

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Set 2013
  • Mensagens: 670
  • Localidade: Setúbal
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: Burgman AN400AZ ABS (Fev.2014)
Suzuki Burgman 400 - Ficha de Diagnóstico, onde está?
« em: 08 de Julho de 2020, 10:35 »
Boas!
Para responder a um companheiro.
Apesar de não ter grande qualidade, este vídeo mostra onde fica a ficha de teste da Suzuki Burgman 400:

https://www.youtube.com/watch?v=25InLLouFoY

Conforme se vê, é desmontar uma tampa de plástico que fica logo abaixo do painel de instrumentação.
Sendo de encaixar, é puxá-la firmemente na direcção da traseira da scooter.

Mas não façam conforme o vídeo, onde se puxa um lado do plástico e depois o outro.
A melhor forma é sentarem-se no banco da Buga e usarem as duas mãos, do lado esquerdo e do lado direito da tampa. E puxa-se ao mesmo tempo.
Isto porque a tampa está próxima do plástico transparente do painel e não queremos riscá-lo, certo?
Eu costumo colar uma fita de papel ao longo do painel transparente sobre a tampa que quero retirar, para não correr esse... risco.
« Última modificação: 08 de Julho de 2020, 10:37 por karloxilva »
"O bom senso é a coisa do mundo mais bem distribuída: todos pensamos tê-lo em tal medida que até os mais difíceis de contentar nas outras coisas não costumam desejar mais bom senso do que aquele que têm." René Descartes

Offline karloxilva

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Set 2013
  • Mensagens: 670
  • Localidade: Setúbal
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: Burgman AN400AZ ABS (Fev.2014)
Re: Suzuki Burgman 400 - Ficha de Diagnóstico, onde está?
« Responder #1 em: 09 de Julho de 2020, 14:23 »
Companheiros da Administração:
Concordareis comigo que esta entrada fica melhor no "post" sobre a Luz FI.
Assim, peço que apagueis esta entrada por redundante.
O meu obrigado.
« Última modificação: 09 de Julho de 2020, 14:41 por karloxilva »
"O bom senso é a coisa do mundo mais bem distribuída: todos pensamos tê-lo em tal medida que até os mais difíceis de contentar nas outras coisas não costumam desejar mais bom senso do que aquele que têm." René Descartes