Autor Tópico: A sinistralidade  (Lida 202 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline moto2cool

  • MaxiScootard
  • ****
  • Join Date: Mar 2015
  • Mensagens: 2305
  • Localidade: Porto
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: SV 650 A
A sinistralidade
« em: 19 de Novembro de 2018, 15:11 »
Fico sempre preocupado quando vejo falar de sinistralidade. Não porque seja um tema a evitar ou porque não seja uma preocupação no dia a dia do motociclista, mas porque existem agendas de interesses ligados economicamente ao sector que têm muito ganhar e que não menosprezam qualquer oportunidade de agitar fantasmas no que são acompanhados pelo poder político, seja por interesses escondidos ou simples incompetência.
Antes que o discurso venha ter connosco outra vez, que fique claro que este ano tem tido uma muito vantajosa evolução face ao ano passado, que não foi bom:
Motociclos 2018 (variação em relação a 2017) (acumulado em julho):
Mortes=35 (-16)
Feridos graves =198 (-30)
Feridos leves = 2922 (-99)
Total vitimas = 3155 (-145)
Cada vítima é uma infelicidade, cada morte uma desgraça e lamenta-se cada uma delas. Mas não nos venham atirar poeira para os olhos.
Fonte:relatório de julho da ANSR

Já agora no Público vem uma reportagem em que referem que o secretário de Estado na cerimónia do dia das vítimas na estrada citou o"sucesso" do aumento de 82,2% nas contra - ordenações e mais 21% nos autos cobrados.
Pois. Enquanto olharem para isso como indicador que estão a fazer alguma coisa percebe-se porque isto anda mal :)


Spritmonitor.de" border="0 Suzuki VStrom 650
"Viver a vida não é esperar que a tempestade passe, é aprender a andar à chuva"