Autor Tópico: Falta de educação de alguns scootards  (Lida 420 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Duas Rodas

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Abr 2012
  • Mensagens: 553
  • Localidade: Estoril
  • Sexo: Masculino
  • António Miguel
  • Marca: Honda
  • Modelo: SW-T400
Falta de educação de alguns scootards
« em: 07 de Novembro de 2017, 12:09 »
Bons dias a todos,
hoje apetece-me falar da educação, ou falta dela, demonstrada por alguns companheiros de duas rodas. _thumbdown_ Foi uma situação tão flagrante,mesmo à minha frente, que fiquei a matutar no assunto o trajeto todo até chegar aqui ao trabalho.
Comecemos pelo princípio.
Vinha eu na Marginal às 9h00 e pouco, a furar no meio do trânsito atrás de outra scooter, uma BMW 650GT. Apesar do trânsito cerrado e parado, até vínhamos os dois num ritmo bastante vivo, dadas as circunstâncias.
Mas o que é bom não dura muito e em Santo Amaro fomos obrigados a abrandar atrás de uma daquelas scooters elétricas de aluguer, pilotada por um indivíduo que só pode ser novato nestas andanças, dada a lentidão a que seguia. Pior que o passo de caracol foi a teimosia dele em não nos querer deixar passar à frente apesar das várias oportunidades/clareiras que teve para encostar num espaço aberto à esquerda ou direita.
E assim se arrasta este séquito de 3 veículos nos 200 metros seguintes, a pisar o tracejado do eixo da via e com a nossa paciência a esgotar-se a cada metro... _policia_
Mais cedo ou mais tarde, um de nós iria buzinar e pedir-lhe para deixar-nos ultrapassá-lo.
Mas a coisa não fica por aqui, caros leitores.
Eis que do nada surge um 4º elemento, numa PCX, e numa manobra que teve tanto de impaciente, imprudente como de chicoesperto, aproveita uma nesga de espaço e vindo de trás, ultrapassa-me pela esquerda e cola-se milimetricamente atrás da elétrica e ao lado da BMW. A BMW, que está como eu a apanhar seca há mais tempo do que ele, não facilitou e tenta não o deixar tomar a dianteira.
(Deixem-me ressalvar que para o caso as marcas e cilindradas das scooters pouco importam, apenas as menciono para identificar os intervenientes e para os leitores mais facilmente comprenderem a dinâmica do episódio).
Portanto, eu vinha atrás desta luta engalfinhada entre quem é que conseguia ultrapassar primeiro a scooter elétrica, literalmente ambas as scooters num acelera/trava furioso, braços e cotovelos a tocarem-se, uma cena de MotoGP ao vivo.
Uns 5 metros mais à frente, abre-se uma clareira maior e ultrapassamos todos a elétrica pelo lado esquerdo (este primeiro energúmeno nunca deixou o eixo da via! _thumbdown_), com a PCX na dianteira do grupo.
Mas a BMW morde-lhe sempre os calcanhares no meio do trânsito, esta não vai deixar fugir a PCX e vai querer tirar satisfações na primeira paragem! Pensei: Isto vai acabar mal! :-?
Eu vou mais lentamente a uma distância segura. Passamos Paço de Arcos, Instituto  de socorros a naufragos e só antes da curva dos Pinheiros é que finalmente a PCX é obrigada a abrandar o suficente pelos carros para a BMW o abordar pela direita. As scooters agora seguem lentamente lado a lado e eu aproximo-me.
Este está furioso, abre a viseira do capacete e gesticula para trás de nós, fazendo referência para o início da confusão em Sto Amaro. Até chega a colocar-lhe a mão no ombro/braço direito para o condutor da PCX não fugir enquanto é servida a descompostura aos altos berros. Só consegui perceber de forma clara: "Essa modere a sua linguagem não se faz!"
Isto durou uns poucos segundos, depois a BM acelerou e seguiu em frente. O tipo da PCX, ainda desnorteado, deixou-me passar a mim e a outro que entretanto se juntara ao grupo.
A minha viagem depois continuou sem mais percalços, mas não consigo deixar de pensar naquilo.
Este episódio de hoje ilustra bem duas tendências actuais entre os scootards, a meu ver há aqui duas espécies de energúmenos:
Os novatos ou arrogantes que não se deixam ultrapassar nas filas de trânsito e os impacientes que não querem esperar a sua vez na fila e fazem manobras perigosas para chegar à frente e mais depressa.
Eu não sou nenhum santo e às vezes faço manobras de que mais tarde me arrependo e admito que deveria ter feito de outra forma.
Mas sempre deixei passar quem vem mais rápido atrás de mim e nunca saltei a minha vez quando em procissão compacta.
Haja o mínimo de civismo e bom senso, é o que eu desejo nas nossas estradas.
Fiquem bem e boas curvas.
 _convivio_




Honda SW-T400 (09/2016) 27870kms>


Offline Sergio-fininho

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Mai 2016
  • Mensagens: 781
  • Localidade: Seixal
  • Sexo: Masculino
  • Marca: honda
  • Modelo: pcx power by fininho
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #1 em: 07 de Novembro de 2017, 12:18 »
Bons dias a todos,
hoje apetece-me falar da educação, ou falta dela, demonstrada por alguns companheiros de duas rodas. _thumbdown_ Foi uma situação tão flagrante,mesmo à minha frente, que fiquei a matutar no assunto o trajeto todo até chegar aqui ao trabalho.
Comecemos pelo princípio.
Vinha eu na Marginal às 9h00 e pouco, a furar no meio do trânsito atrás de outra scooter, uma BMW 650GT. Apesar do trânsito cerrado e parado, até vínhamos os dois num ritmo bastante vivo, dadas as circunstâncias.
Mas o que é bom não dura muito e em Santo Amaro fomos obrigados a abrandar atrás de uma daquelas scooters elétricas de aluguer, pilotada por um indivíduo que só pode ser novato nestas andanças, dada a lentidão a que seguia. Pior que o passo de caracol foi a teimosia dele em não nos querer deixar passar à frente apesar das várias oportunidades/clareiras que teve para encostar num espaço aberto à esquerda ou direita.
E assim se arrasta este séquito de 3 veículos nos 200 metros seguintes, a pisar o tracejado do eixo da via e com a nossa paciência a esgotar-se a cada metro... _policia_
Mais cedo ou mais tarde, um de nós iria buzinar e pedir-lhe para deixar-nos ultrapassá-lo.
Mas a coisa não fica por aqui, caros leitores.
Eis que do nada surge um 4º elemento, numa PCX, e numa manobra que teve tanto de impaciente, imprudente como de chicoesperto, aproveita uma nesga de espaço e vindo de trás, ultrapassa-me pela esquerda e cola-se milimetricamente atrás da elétrica e ao lado da BMW. A BMW, que está como eu a apanhar seca há mais tempo do que ele, não facilitou e tenta não o deixar tomar a dianteira.
(Deixem-me ressalvar que para o caso as marcas e cilindradas das scooters pouco importam, apenas as menciono para identificar os intervenientes e para os leitores mais facilmente comprenderem a dinâmica do episódio).
Portanto, eu vinha atrás desta luta engalfinhada entre quem é que conseguia ultrapassar primeiro a scooter elétrica, literalmente ambas as scooters num acelera/trava furioso, braços e cotovelos a tocarem-se, uma cena de MotoGP ao vivo.
Uns 5 metros mais à frente, abre-se uma clareira maior e ultrapassamos todos a elétrica pelo lado esquerdo (este primeiro energúmeno nunca deixou o eixo da via! _thumbdown_), com a PCX na dianteira do grupo.
Mas a BMW morde-lhe sempre os calcanhares no meio do trânsito, esta não vai deixar fugir a PCX e vai querer tirar satisfações na primeira paragem! Pensei: Isto vai acabar mal! :-?
Eu vou mais lentamente a uma distância segura. Passamos Paço de Arcos, Instituto  de socorros a naufragos e só antes da curva dos Pinheiros é que finalmente a PCX é obrigada a abrandar o suficente pelos carros para a BMW o abordar pela direita. As scooters agora seguem lentamente lado a lado e eu aproximo-me.
Este está furioso, abre a viseira do capacete e gesticula para trás de nós, fazendo referência para o início da confusão em Sto Amaro. Até chega a colocar-lhe a mão no ombro/braço direito para o condutor da PCX não fugir enquanto é servida a descompostura aos altos berros. Só consegui perceber de forma clara: "Essa modere a sua linguagem não se faz!"
Isto durou uns poucos segundos, depois a BM acelerou e seguiu em frente. O tipo da PCX, ainda desnorteado, deixou-me passar a mim e a outro que entretanto se juntara ao grupo.
A minha viagem depois continuou sem mais percalços, mas não consigo deixar de pensar naquilo.
Este episódio de hoje ilustra bem duas tendências actuais entre os scootards, a meu ver há aqui duas espécies de energúmenos:
Os novatos ou arrogantes que não se deixam ultrapassar nas filas de trânsito e os impacientes que não querem esperar a sua vez na fila e fazem manobras perigosas para chegar à frente e mais depressa.
Eu não sou nenhum santo e às vezes faço manobras de que mais tarde me arrependo e admito que deveria ter feito de outra forma.
Mas sempre deixei passar quem vem mais rápido atrás de mim e nunca saltei a minha vez quando em procissão compacta.
Haja o mínimo de civismo e bom senso, é o que eu desejo nas nossas estradas.
Fiquem bem e boas curvas.
 _convivio_
Infelizmente isso é prato do dia em todo o lado...

Enviado do meu T06 através de Tapatalk


Offline Élio

  • Super MaxiScootard
  • *****
  • Join Date: Set 2010
  • Mensagens: 3937
  • Localidade: Agualva - Cacém
  • Sexo: Masculino
  • Carpe Diem & Scooter Spirit
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: Burgman AN650/Z
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #2 em: 07 de Novembro de 2017, 12:33 »
Prato do dia até com carros.


Ontem tive um episódio diferente mas que demonstra bem a responsabilidade de cada um.
Todos sabem que não sou nenhum santo e que também acelero e gosto. E isso não só já me saiu caro como me custaram alguns pontos. Porém, fazer o túnel da CRIL todo... mas todo mesmo, a enviar mensagens no messenger como aquela senhora que seguia na minha frente estava a fazer e a trocar de aplicativos, etc., é demais.
Ainda estive para buzinar e até filmar aquele descaramento que era visível a quem seguia atrás. Contudo pensei duas vezes e fiquei sossegado, apesar de dar comigo a pensar que é por isto que existem tantas mortes de duas rodas na estrada. Cada vez mais as pessoas se esquecem que operar uma máquina requer cuidados redobrados.
Os fabricantes automóveis são os grandes responsáveis por tudo o que se está a passar. Cada vez mais oferecem verdadeiros Enterteinement Centers aos condutores.
E isso distrai... distrai e mata.
Pensem nisto!
« Última modificação: 07 de Novembro de 2017, 12:33 por Élio »
X-Max 250 --- Xciting 500Ri ABS --- Suzuki Burgman 650 Executive --- Suzuki Burgman AN650/Z
Membro CPM 758


Offline Rufido

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Nov 2013
  • Mensagens: 849
  • Localidade: Oeiras
  • Sexo: Masculino
  • Respeito, muito respeito pelos outros e pela máqª
  • Marca: Gilera
  • Modelo: Nexus 500
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #3 em: 07 de Novembro de 2017, 12:41 »
nessa mesma estrada (EN6) mas no percurso inverso (no regresso a casa), tenho apanhado também alguns "novatos" (digo eu) que trazem ainda o vicio do outro tipo de veículo, a ocuparem a faixa da esquerda, deixando a direita perfeitamente livre, estilo UK (digo eu)  _pensador_
Rui

Online mpaneves

  • MaxiScootard
  • ****
  • Join Date: Abr 2013
  • Mensagens: 2366
  • Localidade: sintra-cascais
  • Sexo: Masculino
  • Mebro nº 5131
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #4 em: 07 de Novembro de 2017, 12:41 »
Civismo,bom senso ,todos queremos mas não há.
Reparo que principalmente quem tem boas máquinas arma-se com  que não sabe fazer menosprezando os restantes utentes da via ,só sabem andar em reta ,isto tanto em  2 como em 4 rodas . infelizmente é assim no dia a dia.
casal k 50--sis saschs 50--yamaha target 50--yamaha aerox 50--yamaha neos50--yamaha aerox 50--yamaha bws 125--yamaha xcity125--honda cbf 125--kymco kxct125
kymco xciting400
Membro:5131
Marco Neves

Offline NSilva

  • MaxiScootard Júnior
  • **
  • Join Date: Out 2016
  • Mensagens: 226
  • Localidade: Lisboa
  • Sexo: Masculino
  • Marca: SYM
  • Modelo: GTS 300i EVO
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #5 em: 07 de Novembro de 2017, 12:50 »
Ainda considero que faço parte do grupo dos novatos e, como tal, vou deixar a minha opinião.
Já aconteceu algumas vezes eu ter de ir bastante devagar a passar entre os carros, porque não tenho tanta agilidade ou experiência e ainda porque os espelhos das GTS ocupam bastante espaço  _martelada_
Por norma, quando vejo pessoal de mota atrás de mim, quando posso encosto, deixo-os passar e junto-me novamente à caravana. O civismo e o respeito têm de existir nestes momentos.
Esta questão de os deixar passar primeiro é bastante positivo para mim visto que eles abrem o trânsito por mim  _corado_ e ainda delimitam a trajetória.

É tudo uma questão de civismo, volto a repetir, e bom senso.




Offline jose luis

  • MaxiScootard Júnior
  • **
  • Join Date: Abr 2016
  • Mensagens: 159
  • Localidade: queluz
  • Sexo: Masculino
  • Marca: yamaha
  • Modelo: 250 xmax
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #6 em: 07 de Novembro de 2017, 13:16 »
Quando eu ando a furar o transito , estou sempre a olhar pelo espelho e se vejo alguem de moto se aproximar nudo de faixa onde ouver um espaço  tanto faz a esquerda ou direita , quase  sempre o motard agradece com sinal na mão.
Mas tambem não  tenho paciência  para os empatas , normalnente se um motar vai a minha  frente a estorvar  dou um cheirinho na buzina , se ele se apartar  o ultrapasso e agradeço  , mas tambem se não  se mexer e se esta  a c@gar pela moto que vai atrás  o ultrapasso  pela direita , esquerda  pir onde tiver  oportunidade.

Offline Big Pedro

  • MaxiScootard Júnior
  • *
  • Join Date: Out 2016
  • Mensagens: 24
  • Localidade: Oeiras
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Keeway
  • Modelo: Outlook 150
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #7 em: 07 de Novembro de 2017, 15:51 »
Boas. Acima de tudo acho que temos que cumprir o código da estrada, e respeitarmo-nos a todos.
Pedro

Offline Sergius

  • MaxiScootard Júnior
  • *
  • Join Date: Out 2015
  • Mensagens: 29
  • Localidade: Lisboa
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Yamaha
  • Modelo: Majesty S
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #8 em: 07 de Novembro de 2017, 16:13 »
Andam por ai muitos utilizadores de motociclos/ciclomotores com uma condução muito má, na minha opinião a condução com carta B devia passar por um exame.

Offline karloxilva

  • MaxiScootard Júnior
  • **
  • Join Date: Set 2013
  • Mensagens: 355
  • Localidade: Setúbal
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: Burgman AN400AZ ABS (Fev.2014)
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #9 em: 07 de Novembro de 2017, 16:43 »
Companheiro/as, a maioria de nós chegámos às 125 por questões que tinham menos a ver com uma paixão desde pequenino pelas motas e mais por uma opção de mobilidade mais económica. Aconteceu comigo.
E, tal como também aconteceu comigo, muitos de nós aperceberam-se de que tinham uma nova paixão quando descobriram que passaram a utilizar a mota ao fim-de-semana quando haviam pensado nela para fazer face ao corropio casa/trabalho/casa. Alguns, entre os quais eu também me conto, acabaram a tirar a carta de condução.

A exemplo da licença de condução automóvel, ter a carta de condução de mota não significa que se passe a ser um bom motociclista. Isso aprende-se, não se é melhor "piloto" do que um companheiro de uma 125 só porque se é encartado, é tudo uma questão de cultura.
O problema maior é que, seja numa 125 ou com uma  habilitação para conduzir algo mais encorpado, parte substancial da comunidade das duas rodas mantém uma mentalidade de "enlatado", procura fazer com uma mota aquilo que um carro não permite: pôr-se à frente dos outros. É da desgraçada da competitividade agressiva que muitos não se conseguem libertar, não há cortesia. Cada ultrapassagem é encarada como uma "enrabadala" (perdoem-me o machismo do termo) pelo ultrapassado e pela vangloria do ultrapassador. Ser gabarolas, "Dei tanto ali!" é encarado como normal, olha-se para a mota do outro a medir o tamanho como o do jipe mede o utilitário antes de se meter "à cão". Meus caro/as, isso não é ser motocilista, é ser um enlatado sobre duas rodas.

Não é tribalismo, "enlatado" era a caricatura usada pelos motociclistas para se referirem àqueles que escolhiam apreciar a paisagem dentro de uma carapaça, célula de segurança perante o mundo, "castelo" perante os demais... algo bem explorado pela publicidade para fazer incrementar a moda irracional dos SUV.
Pelo contrário, os motociclistas consideravam-se marginais em relação ao ideal de "casa, cão e carro", contrapunham a aventura da descoberta - algo agora também bem explorado pela publicidade... Certo, alguns eram mesmo marginais, mas refiro-me à marginalidade benigna, aquela de recusar a banalidade de uma mobilidade sustentada no automóvel como rei supremo do espaço nas cidades. Dúvidas? Lembrem-se de quantas pessoas pedem jardins para passear os filhos e comparem com a quantidade que exige estacionamento debaixo do quarto onde dorme...
Os motociclistas até tinham aquele hábito, estranho para os enlatados, de se cumprimentarem, fosse a mota que conduzissem. Agora juntam-se em tribozinhas de acordo com a marca, afastam os mais lentos ou menos motorizados numa lógica classista que era aquela com que se gozava nas quatro rodas. Autênticos exércitos de betinhos à beira mal-plantados. Caraças! Já quase tenho saudades dos tipos vestidos de cabedal e caveiras por tudo quanto é sítio. As caveiras que, lembro, não eram símbolos de satanismo nem de fãs dos Black Sabbath, significavam tão-só que por debaixo da carne, da marca que trazemos, somos todos iguais perante os riscos e aventuras da estrada. Lembrem-se disso quando se sentarem sobre uma mota, seja ela uma 125 ou uma 1200. "Respect!"
Já me estendi, deixo a reflexão por aqui.
« Última modificação: 07 de Novembro de 2017, 17:06 por karloxilva »
Duas rodas: o dobro da atenção

Offline moto2cool

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Mar 2015
  • Mensagens: 1443
  • Localidade: Porto
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: SV 650 A
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #10 em: 07 de Novembro de 2017, 18:22 »
Bom post Karloxilva  _pol_

Na verdade atitudes erradas na estrada há para todos os gostos, tenho visto mais de automobilistas que de motociclistas, não é o tipo de viatura que nos torna anjos nem diabos, isso já está dentro de cada um de nós e muitas vezes vem ao de cima em situações de stress, como espera em filas de transito.
A única arma é a tolerância daqueles que são suficientemente superiores para não se deixarem levar pela ira.  _palmas_
Spritmonitor.de" border="0 Suzuki SV650A "Back to Classics"
"Viver a vida não é esperar que a tempestade passe, é aprender a andar à chuva"

Offline Mouratti

  • MaxiScootard Júnior
  • **
  • Join Date: Abr 2017
  • Mensagens: 174
  • Localidade: Lisboa
  • Sexo: Masculino
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #11 em: 07 de Novembro de 2017, 19:16 »
Acredita
Nem precisa de haver carros, ainda outro dia vinha na faixa da esquerda a ultrapassar um carro, e assim que posso salto para direita, isso sempre com pisca...e não é que vem uma PCX a abrir e passa uma tangente a minha mota pela direita... (Atenção que a PCX não vinha na faixa da direita nem atrás de mim...vinha longe)
Enfim eu sou verdinho mas se vejo um companheiro a frente não ultrapasso pela direita....respeito e consciência faz falta.

Enviado do meu X527 através de Tapatalk


Offline ruicosta

  • MaxiScootard Júnior
  • **
  • Join Date: Jun 2017
  • Mensagens: 118
  • Localidade: Tomar
  • Sexo: Masculino
  • Procura-se kit de unhas...
  • Marca: Sym
  • Modelo: GTS 125 EVO
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #12 em: 07 de Novembro de 2017, 19:17 »
Infelizmente o respeito e o civismo andam em falta na nossa sociedade. E isso nota-se nas estradas. Sou novato nas duas rodas e por isso mesmo - e também porque vou mais exposto - circulo ainda com mais precaução do que em 4 rodas.

Mas ao passar para duas rodas houve algo que não mudou. Continuo a ver a mesma quantidade de asneiras e a mesma falta de civismo, respeito e paciência que via antes de andar em 2 rodas. E vejo isto por parte de quem anda em 4 ou mais rodas, em duas rodas com e sem motor e até mesmo sem rodas, a pé.

E o problema não são só os craques do acelerador nem os novatos, o excesso de confiança de quem tem carta ou a imprudência e inexperiência de quem não a tem. O problema neste momento reside na própria sociedade e na sua cultura - ou falta da mesma.

A título de exemplo, há uns meses transportei no meu carro uma criança, filha de um familiar. Qual não foi a minha surpresa quando durante a viagem esta criança começa a comentar que eu andava muito devagar, que ultrapassava poucas vezes e até a questionar porque razão parava tantas vezes nas passadeiras.

Com ou sem carta, em 2 ou 4 rodas, com ou sem motor, quando esta criança começar a conduzir já vai formatada por inúmeros anos de aprendizagem - imitação - de má condução por parte dos pais e outros condutores.

E este assunto dava "pano para mangas"...

Enviado do meu RAINBOW 4G através de Tapatalk
« Última modificação: 07 de Novembro de 2017, 19:20 por ruicosta »

Offline António Teles

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Ago 2012
  • Mensagens: 780
  • Localidade: Loures
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Piaggio
  • Modelo: MP3 400
Re: Falta de educação de alguns scootards
« Responder #13 em: 07 de Novembro de 2017, 19:46 »
"......,
Eis que do nada surge um 4º elemento, numa PCX, e numa manobra que teve tanto de impaciente, imprudente como de chicoesperto, aproveita uma nesga de espaço e vindo de trás, ultrapassa-me pela esquerda e cola-se milimetricamente atrás da elétrica e ao lado da BMW. A BMW, que está como eu a apanhar seca há mais tempo do que ele, não facilitou e tenta não o deixar tomar a dianteira.
......."
Retirado do tópico do companheiro Duas Rodas

Por momentos pensei estar a ler um relato do acesso á ponte 25 de Abril, vindo de carro.
Gostei da descrição.
😀 a recomeçar a rolar