Autor Tópico: BMW F800GS vs BMW R1200GS  (Lida 3643 vezes)

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

Offline mepim

  • MaxiScootard Júnior
  • **
  • Join Date: Nov 2014
  • Mensagens: 433
  • Localidade: Povoa Sta Iria
  • Sexo: Masculino
  • Marca: BMW
  • Modelo: R1200GS 2016
BMW F800GS vs BMW R1200GS
« em: 04 de Fevereiro de 2017, 18:05 »
Como é do conhecimento de alguns a mota que tive anterior à R1200GS foi uma F800GS onde fiz cerca de 10.000kms, é normal e habitual existirem comparações entre os dois modelos, ambas são GS, uma 800 e uma 1200, mas será que as motas são efectivamente semelhantes estando a diferença só na cilindrada ou será que existirão mais diferenças? Vou tentar explicar isso já de seguida.





Vamos começar por aquilo que de caras as distingue, o motor.

Motor
A 800 é equipada com um motor Rotax de 798cc e 85cv, capaz de debitar um binário de 83NM. É um motor muito linear e fácil de conduzir, o elevado binário faz com que não tenhamos de estar constantemente a recorrer a mudanças de caixa, funciona muito bem em baixas e até às 5500RPM, a partir daí começa a ter alguma dificuldade em entrar em rotações mais elevadas denotando muita vibração.



A 1200 vem equipada com um bem conhecido motor Boxer de 1200cc e 125cv, no caso do Boxer são debitados uns muito generosos 125NM. Temos também aqui um motor bastante linear, a funcionar também muito bem em baixas, mas que ao contrário da 800 não tem qualquer problema com rotações mais elevadas, muito pelo contrário. A praticamente total ausência de vibrações em todo o mapa de rotações conferem ao Boxer uma progressão espectacular. O ronco do boxer é inconfundível, voz rouca e potente mesmo com escape de série.



Os consumos são também muito próximos, com vantagem para a 800 mas por margem pequena. A média que tenho actualmente na 1200 é de 5.3l/100kms e a que fiz na 800 foi de 4.7l/100kms.

Resumindo, a diferença não está apenas na cilindrada, está também nas características e construção dos motores, o Rotax peca pela vibração que transmite a partir das 5500rpm, coisa que em viagens mais longas se torna bastante desconfortável, já que nas 5500 rotações estamos a rodar sensivelmente nos 140kms/h. Esta é a velocidade até à qual a 800 vai confortável.  A 1200 é uma devoradora de kms, o Boxer não tem qualquer problema em rodar nos 150/160kms/h e até a velocidades mais proibitivas, sempre com total conforto e sem qualquer vibração. Em baixas ambos funcionam muito bem e sente-se que a mota tem sempre potência disponível para progredir.


Caixa:

Aqui temos também uma diferença significativa entre as duas, a 800 vem equipada com embraiagem por cabo enquanto que a 1200 vem com embraiagem hidráulica. Na 800 apesar de a embraiagem ser por cabo funciona bastante bem, mas se a 800 funciona bastante bem a da 1200 é um miminho, é possível acionar a embraiagem só com um dedo, é super suave e não se nota o "arrastar" do cabo como é o caso na 800. As passagens de caixa são mais suaves na 800 do que na 1200, a 1200 até à 3ª sente-se e bem as passagens de caixa, não é defeito é mesmo feitio, a partir daí tudo se torna muito mais suave e as passagens são feitas sem se sentir nada, na 800 a 1ª dá o "salto" típico, mas depois é mais suave que a 1200.

A 1200 tem como extra o quickshift ou assistente à passagem de caixa Pro como a BMW lhe chama, isto não é mais do que um sistema de dupla embraiagem que permite colocar mudanças sem recurso à manete da embraiagem, um sistema muito utilizado nas motas desportivas e que está disponível na 1200. Ora isto é de um conforto espectacular, funciona na perfeição a partir/até da 2ª velocidade e bem utilizado nem se sente as mudanças a entrar. Por outro lado numa condução mais desportiva é uma delicia, ainda agora na viagem que fiz ao Douro naquele serpentear de estradas em que temos curvas umas a seguir às outras e em que temos de recorrer bastante a reduções e acelerações o quickshift torna-se algo viciante, a reduzir então Jesus!!!

Resumindo, a caixa da 800 é mais suave que a da 1200, a 1200 com quickshift (extra para mim obrigatório) resolve o problema da suavidade e passa a ter um caracter muito mais desportivo, isto para além do conforto acrescido de não ter de utilizar embraiagem.


Transmissão:

Aqui mais uma diferença, a 800 utiliza um sistema normal de corrente e a 1200 um sistema de cardan, aqui não dou vantagem nem desvantagem a nenhuma delas, ambas têm vantagens e desvantagens, corrente mais fácil caso exista algum problema, mais fácil manutenção, cardan, mais conforto, mais limpo, isento de manutenção pelo utilizador.


Suspensão:

Aqui reside para mim talvez a maior diferença entre as duas, a 800 vem equipada com uma forquilha invertida à frente que funciona francamente mal, muito mole, afunda bastante em travagens mais exigentes dando alguma sensação de insegurança enquanto não estamos habituados, isto numa mota que está mais vocacionada para offroad é um problema grave, para quem queira dar um uso mais intensivo em offroad torna-se obrigatório a substituição das molas na suspensão da frente, existem algumas soluções como por exemplo as da Touratech que começam nos +-400€ (apenas substituição de molas) e vão até aos +-4.000€ (substituição completa do sistema de suspensão dianteiro e traseiro).

Na 1200 tudo muda de figura graças a algo chamado Telelever e Paralever, não vou entrar em grande detalhe sobre este sistema, resumidamente o grande objectivo é manter a mota sempre equilibrada, sem afunda em travagem nem levantar em acelerações. Aquilo que posso afirmar é que funciona super super bem, transmite uma sensação de controlo e de segurança enorme e é extremamente confortável. O sistema também auxilia em curva já que faz também a gestão da suspensão na inclinação da mota.

Deixo um pequeno video que explica como o sistema funciona.

https://www.youtube.com/watch?v=nHmTl0aTHQI

Resumindo, 800 suspensão tradicional e simples, o amortecedor traseiro não é mau de todo o dianteiro é muito mau, primeiro investimento aconselhado é mesmo a substituição das molas na frente. 1200 suspensão muito mais avançada com um funcionamento através do telelever/paralever exemplar, obviamente que sendo um sistema totalmente electrónico está mais sujeito a avaria, mas isso nos dias de hoje as motas têm cada vez mais electrónica e estamos sempre sujeitos a avarias.


Travagem:

Aqui vantagem novamente para a 1200, o sistema de travagem é muito semelhante, a principal diferença reside nos discos flutuantes que são utilizados na 800, este tipo de discos tem tido várias queixas por parte dos utilizadores por fazerem barulho, o típico bater. A 1200 tira todo o partido do sistema de suspensão para ter uma travagem super eficiente. Tive a 1200 para teste durante 3 dias, quando fui entregar a 1200 e voltei à minha 800 a sensação com que fiquei é que a 800 não travava tal a diferença entre as duas.


Peso e manobralidade

Ao olhar para os números vamos sempre ficar com a sensação que estamos perante dois pesos pesados, principalmente no caso da 1200 em que temos um peso 238kgs vs os 214kgs da 800, felizmente que não temos de pegar nelas ao colo.

Aquilo que vos posso dizer é que olhar para uma 800GS que parece magricela e para uma 1200GS que é bem mais encorpada dá a sensação que vamos ter muito maior dificuldade em manobrar a 1200 do que a 800, só que isso não é verdade, a distribuição de peso está feita de forma bastante diferente dada a vocação base de cada uma, a 1200 tem o centro de gravidade bem mais baixo que a 800, posso até afirmar sem qualquer duvida que se manobra melhor a 1200 parada e à mão que a 800.

Em movimento ambas fluem como se nada fosse, a 800 é uma mota mais alta com os seus 880mm de altura de banco vs os 850/870mm da 1200 (o banco da 1200 tem duas posições), a forma como conduzimos cada uma delas é diferente, não só pela altura como também pela diferença das rodas dianteiras, na 800 temos uma jante de 21" e na 1200 de 19". Em estrada/AE vantagem clara para a 1200, parece que tem cola na estrada, fora de estrada e em estradas mais danificadas vantagem para a 800, passa por cima de tudo.

Falar ainda um pouco de outro defeito e grande da 800, a protecção aerodinâmica. Na parte inferior são muito idênticas, funcionam bastante bem e se usarmos botas não sentimos qualquer incomodo nas pernas, com sapatos iremos sentir ligeiramente na parte inferior das pernas e nos pés. Na parte superior o vidro que vem de origem com a 800 não dá qualquer tipo de protecção, no meu caso todo o vento é sentido de meio do peito para cima. Obviamente que existem soluções no mercado para resolver isto, mas de tudo o que testei só existem 2 soluções que resolvem mais ou menos o problema, o vidro Desierto da Touratech e o vidro que vem de origem na GSA, o problema é mesmo o valor de qualquer uma destas soluções, bem acima dos 500€.

A GS 1200 com o vidro de origem oferece protecção mais do que suficiente e funciona bastante bem, se quisermos mais protecção temos também as mesmas soluções da 800 mas com valores inferiores a 300€.


Resumo:

Estamos perante duas excelentes motas, para mim com vocações diferentes e conceitos também diferentes, uma 800 muito mais 50/50 (estrada/fora de estrada) e uma 1200 mais nos 70/30. Para quem não tencione fazer grandes viagens a 800 funciona muito bem, em viagens tem o defeito da vibração e da falta de protecção aerodinâmica, aí a 1200 dá cartas, super confortável e pronta para fazer várias centenas de kms por dia.

Em termos de segurança a 1200 é muito superior, trava melhor, tem melhor suspensão e a curvar é qualquer coisa.

A diferença de valores é considerável, quando comprei a 800 nunca me passaria pela cabeça ir para a 1200, o que é certo é que a 800 foi o primeiro passo para entrar no mundo BMW, extremamente agressivo e com soluções comerciais e financeiras como não existe igual, daí à 1200 foi um passo.

Hoje, com o conhecimento que tenho das duas e tendo possibilidade para isso não teria qualquer duvida em optar pela 1200.


Nota:

Estive sempre a falar das versões GS, existe quer na 800 quer na 1200 a opção GSA que resumidamente tem um depósito maior, maior protecção aerodinâmica e consequentemente mais peso.
Rui Pinto / Mepim
X-Max 125 -> 12/2014 -> 0km -> 05/2015 -> 11.000kms  -  T-Max 530 ABS 2015 ->06/2015 -> 0km -> 02/2016 -> 17980km  -  BMW F800GS 2016 -> 03/2016 -> 0km -> 06/2016 -> 8320km  -  BMW R1200GS 2016 -> 06/2016 -> 0km ->

Offline Filipe Pombo

  • MaxiScootard
  • ****
  • Join Date: Dez 2013
  • Mensagens: 1890
  • Localidade: Albarraque-Sintra
  • Sexo: Masculino
  • Não conduzas + rápido que o teu anjo da guarda voa
  • Marca: Y Xmax 400
  • Modelo: VStrom 650
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #1 em: 04 de Fevereiro de 2017, 18:37 »
Mepim, obrigado pelo comparativo  _pol_

acho que desvendaste alguns mitos que podem ajudar muita gente, como eu que em função dos kms percorridos , existe uma necessidade de evoluir na montada.

Como referi no meu DB , estou na expectativa da ADV um compromisso entre a Scooter e a mota convencional.

Não tenho vida para programar aventuras de um mês ou dois pela Europa   scooter_  ... , sou mais modesto..a falta de tempo e a gestão da minha agenda não me deixa ir muito além dos Pirinéus  :-? 

Também a necessidade de carga não me deixa abandonar as scooters..confesso que tenho a Tmax como favorita, mas no sábado passado , por acaso vi uma FJR de 2015 ao lado da Tmax ..o valor da FJR praticamente nova era de 13,350€  portanto o valor da nova Tmax DX e vendo uma ao lado da outra..confesso que fiquei a pensar se a Tmax não estaria inflacionada  _martelada_  o facto da Yamaha ter enchido a Tmax de acessórios e electrónica, acaba por tornar um produto premium num produto excessivamente caro para o que oferece.. a ver vamos se a ADV não está a cair no mesmo erro de tornar a Scooter tão próxima da Africa Twin   

Sinceramente depois de ler este comparativo, a minha opção seria sempre a AT em detrimento da GS800 , realmente entre as duas a AT é a escolha racional....   _pol_
"
« Última modificação: 05 de Fevereiro de 2017, 00:37 por Filipe Pombo »
Espirito Scootard

Offline mepim

  • MaxiScootard Júnior
  • **
  • Join Date: Nov 2014
  • Mensagens: 433
  • Localidade: Povoa Sta Iria
  • Sexo: Masculino
  • Marca: BMW
  • Modelo: R1200GS 2016
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #2 em: 04 de Fevereiro de 2017, 19:25 »
Existem bastantes alternativas neste segmento das maxitrails, andei com uma AT e comparando com a 800 é uma mota muito mais "suave", sendo um modelo mais recente tinha por obrigação distanciar-se mais.

A ADV parece-me uma excelente aposta vamos ver o que nos reserva.

A T-Max está sem dúvida alguma inflacionada, mas para mim continua a ser a melhor "mota" do segmento. Tomara eu ter €spaço na garagem e ela ainda lá estava  _convivio_
Rui Pinto / Mepim
X-Max 125 -> 12/2014 -> 0km -> 05/2015 -> 11.000kms  -  T-Max 530 ABS 2015 ->06/2015 -> 0km -> 02/2016 -> 17980km  -  BMW F800GS 2016 -> 03/2016 -> 0km -> 06/2016 -> 8320km  -  BMW R1200GS 2016 -> 06/2016 -> 0km ->

Offline moto2cool

  • MaxiScootard
  • ****
  • Join Date: Mar 2015
  • Mensagens: 2046
  • Localidade: Porto
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Suzuki
  • Modelo: SV 650 A
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #3 em: 04 de Fevereiro de 2017, 19:33 »
Excelente artigo comparativo. Fica uma clara ideia de cada um das motas num abordagem muito imparcial. Parabéns ;)
Spritmonitor.de" border="0 Suzuki SV650A "Back to Classics"
"Viver a vida não é esperar que a tempestade passe, é aprender a andar à chuva"

Offline TMaxer

  • MaxiScootard
  • ****
  • Join Date: Out 2014
  • Mensagens: 2083
  • Localidade: Lisboa
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Ducati
  • Modelo: Multistrada 1200S
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #4 em: 04 de Fevereiro de 2017, 21:17 »
Ja conhecia mas de novo obrigado e parabens ao Rui  _pol_ _pol_ _pol_




A FJR é uma excelente moto... mas para meter em cidade não seei... ainda hoje numa longa conversa com alguém que já teve uma na garagem, a pessoa me dizia que  FJR era um sonho em estrada, mas em cidade era um absoluto no-no pois para alem das dificuldades de condução a baixa velocidade o calor gerado pela mecânica tornava-a demasiado incomodativa

Offline Sapiens21

  • Super MaxiScootard
  • *****
  • Join Date: Dez 2010
  • Mensagens: 12397
  • Localidade: Évora
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Honda
  • Modelo: DN-01 - " O Tubarão"
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #5 em: 04 de Fevereiro de 2017, 22:55 »
Detalhado, isento e pleno de pormenores bastante interessantes.

Já conhecia este teu comparativo, mas um trabalho assim tão bom convém chegar ao conhecimento do maior número de pessoas.  _pol_

Online Sanheiro

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Jun 2013
  • Mensagens: 788
  • Localidade: Setúbal
  • Sexo: Masculino
  • A (H)onda do Rio Sado
  • Marca: Honda
  • Modelo: NC750D Integra S
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #6 em: 04 de Fevereiro de 2017, 22:59 »
Detalhado, isento e pleno de pormenores bastante interessantes.

Já conhecia este teu comparativo, mas um trabalho assim tão bom convém chegar ao conhecimento do maior número de pessoas.  _pol_

Concordo plenamente, dai estar no CPM, um fórum consultado por muitos !!
Yamaha X-Max 125:Mai/12 a Dez/15- 0km aos 87 000km - Honda NC750D Integra: Dez/15 -  0Km aos 102 000km (por enquanto)

Offline Joaocruz

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Jul 2010
  • Mensagens: 748
  • Localidade: Santa Marta do Pinhal-Corroios
  • Sexo: Masculino
  • Marca: Yamaha
  • Modelo: Tracer 900 GT
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #7 em: 05 de Fevereiro de 2017, 01:23 »
Parabens Mepim pelo comparativo.
Eu tenho o mesmo dilema com motos com os mesmos motores.
A minha ST 800 e a R1200 RS...
Deve ser a mesma história.
Por isso, enquanto não há alternativas e me sentir confortável com a 800, irei mantê-la ca por casa.
Um abraço,
JpC
Sym Gts 125 Evo de 07/2010(10500 km)-09/2011(22800 km)
Yamaha Majesty 400 2009 de 09/2011(8277 km)-04/2013(24800 km)
BMW F 800 ST 2008 de 04/2013 (35500 km)-06/2018 (82000 km)
Yamaha Tracer 900 GT de 06/2018 (0 km a ???)

Offline marb

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Jun 2013
  • Mensagens: 1192
  • Localidade: Santarém
  • Sexo: Masculino
  • Marca: BMW
  • Modelo: R1200 GS
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #8 em: 09 de Abril de 2017, 10:17 »
Excelente análise e comparativo. Aproveito a ocasião para te questionar o seguinte: quando optaste pela R1200 GS chegaste a ponderar ou a experimentar a S 1000 XR? Se sim, achas que é muito diferente da R 1200 GS?

Estive esta semana na FIL e gostei muito mais da S 1000 XR mas penso que a R 1200 GS está mais vocacionada para o Off-road que a 1000 e que 1000 está mais vocacionda para a estrada.

E o facto de a 1000 ter 4 cilindros talvez também seja uma vantagem. O que achas?
10/2011-Honda Vision 110 (3600 km), 04/2012-Yamaha XMax 125A (8700 km), 07/2013-Yamaha XMax 250A (10000 km), 07/2014 Honda NC750D (18700 km),03/2016-Honda PCX 125 (8000 km), 04/2017-Honda CB500X (13400 km), 05/2018-Honda CBR650F (7170 km), 09/2018-BMW R1200 GS

Offline mepim

  • MaxiScootard Júnior
  • **
  • Join Date: Nov 2014
  • Mensagens: 433
  • Localidade: Povoa Sta Iria
  • Sexo: Masculino
  • Marca: BMW
  • Modelo: R1200GS 2016
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #9 em: 09 de Abril de 2017, 18:39 »
Marb, a S1000XR é completamente diferente da GS, a única coisa que se assemelha é a posição de condução.

A S1000XR é uma R disfarçada de maxitrail, o motor é o mesmo da S1000R apenas com uma relação de caixa ligeiramente diferente. Por isso tens duas principais diferenças a nível de condução, performance e conforto, a S1000XR é uma mota muito mais ON OFF, muito ao estilo das KTM 1290 Adventure, potência bruta com os seus 160cv e difícil de dosear no acelerador, andas sempre no aço. A nível de conforto a S1000XR é o que eu chamo de cavalo de pau, super rija típico de uma mota desportiva muito vais virada para a performance do que propriamente para viagens tranquilas.

Estou a dizer isto mas não signifique que não goste da XR, muito pelo contrario, adorei a mota e dá uma pica enorme conduzir aquele bicho, assim como adorei conduzir a KTM 1290, mas para mim os 125cv da GS são mais que suficientes e adequance muito mais ao que pretendo quer no dia a dia quer em viagens que as outras.

Quanto à GS ser mais virada para off road e a XR para estrada não vejo a coisa dessa maneira, as capacidades estradistas de uma e outra são muito semelhantes, uma mais para quem gosta de grandes performances outra mais virada para uma condução menos "atrevida", fora de estrada depende muito das mãos de cada um, já vi videos da XR de deixar de queixo caído, deixo aqui 2 exemplos que vi à pouco tempo que comprovam o que digo, para tirar uma mota fora de estrada seja ela qual for é preciso é kit de unhas, o resto elas não se negam a nada.

https://www.youtube.com/watch?v=aKHD-KhgBKA&t=8s

https://www.youtube.com/watch?v=yemiO6buqE4
Rui Pinto / Mepim
X-Max 125 -> 12/2014 -> 0km -> 05/2015 -> 11.000kms  -  T-Max 530 ABS 2015 ->06/2015 -> 0km -> 02/2016 -> 17980km  -  BMW F800GS 2016 -> 03/2016 -> 0km -> 06/2016 -> 8320km  -  BMW R1200GS 2016 -> 06/2016 -> 0km ->

Offline marb

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Jun 2013
  • Mensagens: 1192
  • Localidade: Santarém
  • Sexo: Masculino
  • Marca: BMW
  • Modelo: R1200 GS
Re: BMW F800GS vs BMW R1200GS
« Responder #10 em: 09 de Abril de 2017, 19:18 »
Excelentes vídeos, obrigado pela partilha e pela explicação. Sem dúvida que a S1000 enche mais o olho, mas acredito que a R1200 seja melhor para viajar.  _pol_

Na análise que fizeste à R 1200 GS não deixei de reparar num facto curioso e engraçado: apesar de bastante encorpada, essa moto acaba por não ser muito pesada....pois pesa o mesmo que a Honda Integra!!!  _confuso_

Já agora mais algumas questões, se não te importas:

Citar
Resumindo, a caixa da 800 é mais suave que a da 1200, a 1200 com quickshift (extra para mim obrigatório) resolve o problema da suavidade e passa a ter um caracter muito mais desportivo, isto para além do conforto acrescido de não ter de utilizar embraiagem.

Quer dizer que para reduzir para 1ª ou passar de 1ª para segunda tem de usar-se a embraiagem?


Para alguém que pretenda andar apenas em estrada, é mais vantajosa a R 1200 T ou a GS continua a ser melhor? (Não sei se experimentaste alguma T)

« Última modificação: 10 de Abril de 2017, 20:24 por marb »
10/2011-Honda Vision 110 (3600 km), 04/2012-Yamaha XMax 125A (8700 km), 07/2013-Yamaha XMax 250A (10000 km), 07/2014 Honda NC750D (18700 km),03/2016-Honda PCX 125 (8000 km), 04/2017-Honda CB500X (13400 km), 05/2018-Honda CBR650F (7170 km), 09/2018-BMW R1200 GS