Autor Tópico: Anuário de Segurança Rodoviária 2013  (Lida 1278 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Saboga

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Fev 2011
  • Mensagens: 1379
  • Localidade: Parede
  • Sexo: Masculino
  • Abençoada ignorância que tão ilustres filhos tens!
  • Marca: Apeado
  • Modelo: Apeado
Anuário de Segurança Rodoviária 2013
« em: 07 de Janeiro de 2015, 15:44 »
A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária acabou de publicar o Anuário de Segurança Rodoviária 2013.
Esta publicação pretende colocar à disposição de todos os profissionais e público em geral, um conjunto de informações e de análises que permitam uma melhor compreensão da sinistralidade rodoviária no nosso País.​​​

Para quem tiver curiosidade, chamo em particular à atenção para os números e estatistica da sinistralidade com veículo de duas rodas a motor.

Podem consultar o ficheiro neste link:

Anuário de Segurança Rodoviária 2013

Algumas das considerações do Estudo:

Os riscos associados à utilização dos veículos diferem consoante a categoria dos mesmos. Para os condutores
e passageiros de “veículos de 2 rodas com motor” o risco de terem um acidente com consequências
mortais foi, no quadriénio, muito superior ao risco de morte dos utilizadores de outras categorias de veículos.

Segundo o Instituto de Seguros de Portugal, os motociclos e ciclomotores representavam cerca de 7,5%
do parque segurado. No entanto, os condutores e passageiros destes veículos representavam pelo menos
29% das vítimas mortais.

O Indicador de Risco dos condutores e passageiros de “veículos de 2 rodas com motor” tem vindo a cair.
Entre 2010 e 2013 o IR dos motociclistas caiu cerca de 33%.
"O sábio pode mudar de opinião. O ignorante nunca."
Immanuel Kant

Manhas

  • Visitante
Re: Anuário de Segurança Rodoviária 2013
« Responder #1 em: 07 de Janeiro de 2015, 17:59 »
Muito boa partilha!  _pol_ _pol_ _pol_


De facto, a realidade dos números é incontornável. Somos o elo mais fraco da estrada. Por outro lado, os dados que referes apontam para uma redução no Indicador de Risco para os "veículos de 2 rodas com motor".


As questões que desde já coloco são:


Em que medida o facto de nos últimos anos, o aumento significativo do parque dos veículos de 2 rodas com motor dever-se em muito às scooters - com particular ênfase na classe 125cc - comparativamente com as motos convencionais, terá contribuido para a diminuição desse Indicador de Risco?


Haverá efectivamente uma correlação entre as tendências apontadas pelo estudo e a proliferação das scooters?

Offline Saboga

  • MaxiScootard
  • ***
  • Join Date: Fev 2011
  • Mensagens: 1379
  • Localidade: Parede
  • Sexo: Masculino
  • Abençoada ignorância que tão ilustres filhos tens!
  • Marca: Apeado
  • Modelo: Apeado
Re: Anuário de Segurança Rodoviária 2013
« Responder #2 em: 07 de Janeiro de 2015, 18:49 »
Será cedo ainda para tirar essa conclusão, mas julgo que sim. A Lei das 125 veio contribuir, e muito para a redução, quer dos acidentes, quer do número de feridos/mortos, quer ainda da gravidade das vítimas.

O facto de haver mais pessoas a circular de mota também consciencializou o automobilista comum para o assunto. Hoje é muito mais normal ver o condutor de um carro a facilitar a passagem de um condutor de uma mota, do que era há uns anos atrás.

« Última modificação: 08 de Janeiro de 2015, 15:36 por Saboga »
"O sábio pode mudar de opinião. O ignorante nunca."
Immanuel Kant